Você cuida da saúde mental dos colaboradores da sua empresa?

Saúde Mental
7 minutos para ler

A saúde mental dos colaboradores é essencial para a produtividade, afinal, esse é um problema que pode afetar a empresa e causar diversos impactos como alto índice de absenteísmo, turnover e baixo rendimento.

Uma carga de trabalho muito alta pode comprometer a qualidade do serviço e do relacionamento com os clientes. Colaboradores sobrecarregados tendem a picos e oscilações entre a desmotivação e a irritabilidade.

Como a saúde mental dos colaboradores é trabalhada na sua empresa? Neste post vamos falar sobre a importância de cuidar desse aspecto, os impactos que o problema causa e como promover o bem-estar organizacional para que a empresa alcance seus objetivos!

Por que é tão importante cuidar da saúde mental dos colaboradores?

Como encantar o público externo se internamente o ambiente não favorece o comprometimento e engajamento da equipe? A saúde mental está, diretamente, ligada ao ambiente de trabalho e tratamento recebido pelos colaboradores.

Em uma empresa onde a demanda de trabalho exige maior desempenho, as tarefas são inadequadas ao conhecimento e perfil ou que os esforços não são reconhecidos, certamente haverá profissionais com problemas emocionais.

Outros fatores também são notáveis como má gestão, comunicação deficiente, competitividade sem supervisionamento, falta de clareza na atribuição de atividades, ausência de políticas direcionadas à saúde e segurança, além de qualquer tipo de assédio.

Quais são os impactos de uma saúde mental comprometida?

Todos os elementos que citamos acima contribuem para diminuir o brilho, a dedicação e o dinamismo de um ou mais profissionais. Quando a empresa não corresponde às expectativas, é possível perceber a queda de produtividade e as consequências que veremos a seguir!

Aumento do absenteísmo

O trabalho que faz com que os profissionais se levantem todos os dias para dedicar seu tempo para uma empresa, é o mesmo capaz de fazer com que não desejem sair de casa, por sentirem reações de aversão, físicas e psicológicas.

O absenteísmo, caracterizado por ausências ou atrasos constantes, pode ter origem na falta de motivação para o desempenho adequado das atividades. É um problema que compromete a performance geral da empresa e sobrecarrega os funcionários presentes — pode ser que em algum momento eles também sejam afetados.

As causas mais comuns alegadas para ausência são estresse, fadiga, dores musculares e de cabeça, ansiedade, entre outros. Dependendo dos sintomas, as ausências são representadas por longos períodos de licença. 

Aumento da taxa de turnover

A rotatividade de funcionários é mais um dos problemas acarretados pelo abalo na saúde mental dos colaboradores. Profissionais, sobretudo os talentos, não permanecem muito tempo em uma empresa que não oferece qualidade de trabalho, além de salários e possíveis benefícios.

Se a atração de talentos é um foco especial de atenção, a retenção exige esforços ainda maiores, pois os colaboradores detêm um conhecimento sobre a empresa, produtos, serviços e clientes, que demanda tempo até que um novato esteja no mesmo nível.

Isso significa que, ao perder bons profissionais, a empresa perderá, ainda que temporariamente, uma boa parcela de competitividade no mercado. Além dos prejuízos financeiros gerados pelas despesas em contratações e rescisões, a maior perda está no capital intelectual.

Baixo rendimento da equipe

Vamos imaginar que os funcionários não se ausentam da empresa ou não se decidam por ir embora, mas cumprem uma rotina apática e pouco produtiva. O baixo rendimento é igualmente preocupante, pois mantém o impacto negativo da empresa.

A mente é um dos principais ativos da proatividade e, quando afetada, provoca danos nos resultados. Funcionários que não se sentem bem e preparados, vão deixar de executar as tarefas com segurança.

Com isso, o reflexo no atendimento e na entrega ficam mais evidentes, colocando em risco a satisfação dos clientes. Um mau atendimento pode fazer sua empresa perder um grande volume de consumidores em pouquíssimo tempo.

Quais são as práticas essenciais de cuidados com a saúde mental na empresa?

A boa notícia diante de um problema tão sério, como o impacto na saúde mental dos colaboradores, é que ele pode ser reversível. Com algumas ações é possível transformar o ambiente e resgatar não só a confiança dos seus colaboradores, mas a credibilidade da sua empresa perante clientes e mercado.

Reconheça e valorize os esforços dos seus colaboradores

Quem não gosta de um elogio? A boa gestão deve ter como premissa básica chamar a atenção nos bastidores e elogiar em público. Os colaboradores precisam saber que a empresa valoriza o seu trabalho e enxerga as qualidades.

Se possível crie uma política de valorização que, além do elogio, contemple ações como oferta de brindes, folgas programadas, bônus em dinheiro, confraternização da equipe, entre outros.

Ouça a sua equipe

Nem sempre os colaboradores sentem segurança e liberdade para dizer que estão sobrecarregados e infelizes. Muitos sofrem calados e não compartilham com seus gestores o quanto a saúde mental está abalada.

Essa pode ser a consequência de uma liderança de comunicação unilateral, que não envolve os profissionais, efetivamente, nos projetos e atividades da empresa. Para resolver, de vez, esse problema, abra um canal de comunicação e estimule que seus colaboradores falem.

Ao ouvir a equipe, o líder terá condições de analisar o cenário e promover mudanças. Pode ser a redistribuição de tarefas, alocação de funcionários para atividades certas ou mesmo o cumprimento daquele banco de horas que é de direito. 

Implemente o feedback contínuo como parte da cultura

Do entendimento de que os colaboradores devem ser ouvidos, nasce a importância de fornecer e receber feedbacks contínuos. Dar ouvidos é, simplesmente, abrir um canal onde os colaboradores possam expressar os motivos de se sentirem mentalmente doentes. 

O feedback, em contrapartida, é a oportunidade de melhorias, tanto da parte da empresa, quanto dos gestores e funcionários. O feedback é uma ação planejada, com abordagens pontuais sobre o desempenho em uma ou mais atividades. 

Com ele, a liderança tem a oportunidade de sinalizar erros e acertos, assim como os colaboradores se sentem mais confortáveis em dizer aquilo que não está favorável ao bom andamento do trabalho. 

Nesse contexto, o feedback construtivo é uma potente ferramenta que ajuda a tirar o peso da insatisfação, apontar para aquilo que não está adequado e propor melhorias para restaurar a saúde mental dos colaboradores. 

Cuide do clima organizacional 

Um ambiente ruim, sem humanização e harmonia, pode gerar nos colaboradores uma sensação de distanciamento e incertezas. Uma empresa de ambiente feliz é aquela em que os funcionários se sentem pertencentes e não apenas obrigados a ir para o trabalho.

Ações como ginástica laboral, confraternizações para celebrar conquistas, treinamento e desenvolvimento, além de criar boas políticas de cargos e salários, são importantes mecanismos motivacionais.

O comportamento influencia em um ambiente agradável, logo, funcionários satisfeitos tendem a trabalhar de forma colaborativa em prol do crescimento da empresa — quanto melhor o clima, melhor o desempenho e, na sequência, os resultados.

Os danos à saúde mental dos colaboradores não surgem de uma hora para outra. A gestão que não percebe problemas no gerenciamento de processos e pessoas, gradativamente vai assumindo o risco de todas as ocorrências apontadas neste artigo.

Sendo assim, não perca tempo e avalie o comportamento dos colaboradores para identificar indícios de uma saúde mental fragilizada. Encare o problema de frente para encontrar soluções eficientes e proteger o maior bem da sua empresa — seu capital humano.

Se você gostou deste post e percebeu a importância de cuidar da saúde mental dos colaboradores, que tal compartilhar nas suas redes sociais e permitir que mais pessoas saibam como fazer para evitar esse mal nas empresas?

Você também pode gostar

Deixe um comentário