Derrubamos 5 mitos do chatbot no atendimento

5 minutos para ler

Existem muitos mitos do chatbot que precisam ser esclarecidos para que a ferramenta seja mais bem utilizada e explorada pelas empresas. Trata-se de um instrumento que cada vez mais vem ganhando a preferência de consumidores e clientes por sua praticidade de uso. 

Por isso é tão importante entender os mecanismos por trás dessa tecnologia e analisar se é verdade ou mentira muito do que se vê baseado nas perguntas realizadas no Google

Ao conhecer esse canal mais de perto, você pode se beneficiar dos recursos para oferecer atendimento 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Continue lendo e veja 5 mitos do chatbot que você precisa conhecer para aproveitar suas facilidades e disponibilizar mais um meio de contato para seus clientes!

O que é e como surgiu o chatbot?

É um software baseado na inteligência artificial, programado para simular uma conversa humana por meio do chat. Com ele, algumas das tarefas mais repetitivas do atendimento podem ser absorvidas como dúvidas mais frequentes e direcionamento para setores específicos.

Uma curiosidade sobre o chatbot — junção de chatter (a pessoa que conversa) e bot (abreviatura de robot) — é que a palavra foi inventada pelo executivo de gravações Michael Mauldin. Era uma forma de descrever os robôs programados via software para conversar com as pessoas na Twelfth National Conference on Artificial Intelligence.

Quais os mitos do chatbot para saber o que pode ou não dar certo na ferramenta?

Desde o surgimento e início da utilização pelas empresas, o chatbot provocou dúvidas e dividiu opiniões. Muitos não sabem ao certo como funciona a ferramenta e quais os benefícios que ela oferece na comunicação com os consumidores e clientes.

Como dissemos no início, são muitos os mitos e foi pensando nisso que relacionamos pelo menos 5 dos mais comuns para que você entenda melhor sobre o chatbot e até considere implementar na sua empresa!

1. Não é possível personalizar o chatbot

O chatbot pode, sim, ser personalizado e adequado ao perfil de cada empresa, adaptando tanto o tom de voz quanto o estilo de linguagem conforme o público. Para isso, é importante conhecer as necessidades dos clientes, ajustando a uma comunicação interativa, que oferece solução para os principais problemas e dores dos clientes.

2. Chatbot humanizado não é possível

Esse é um dos mitos que caiu por terra, já que a evolução, possível com as aplicações da inteligência artificial, permite que os chatbots consigam detectar e identificar sentimentos. À medida que as interações acontecem, os softwares vão aprendendo a se comunicar com uma proximidade ainda maior da emoção humana.

As respostas estão cada vez mais humanizadas e empáticas, aumentando a capacidade de compreensão dos chatbots. Dessa forma, eles são preparados de diversas formas para acalmar usuários irritados ou indecisos em relação ao problema enfrentado.

Uma estratégia interessante para humanizar o atendimento é o uso de emojis, que deixa a conversa mais leve e fluida.

Importante destacar que para muitas demandas de atendimento, não é necessária a participação de um agente humano. Exemplos disso são a consulta de um endereço, a confirmação de um horário ou a escolha de opções até chegar ao setor responsável.

Tudo isso pode ser programado no software, o que torna mais dinâmica a comunicação para o cliente e sobra mais tempo para que a equipe se dedique a quem precisa, de fato, falar ao vivo desde o início.

3. Não combina com o setor de vendas

Ao contrário do que se pensa, o chatbot não serve apenas para o atendimento ao cliente no SAC, como é mais usual. Com as configurações adequadas, o sistema pode ajudar no engajamento de clientes, sobretudo, nas ações estratégicas de marketing e vendas, além de ser eficiente na realização de pesquisas de satisfação.

4. Não serve para todos os canais de atendimento

Mais um mito a ser destituído, pois as integrações viabilizadas pelas plataformas multicanais são fortalecidas pelos princípios da estratégia omnichannel, que defende a efetividade do atendimento por canais físicos e online sem perder a qualidade da interação com o público.

Com isso, as equipes de atendentes estão mais bem preparadas para absorver as ações geradas no chatbot e dar continuidade em outros canais, como WhatsApp, site e Messenger, o que facilita a continuidade padronizada de um atendimento.

5. Apresenta muita instabilidade

Os chatbots modernos são muito inteligentes e, apesar de não serem perfeitos, passam longe da instabilidade. Entretanto, tudo depende da tecnologia e solução utilizadas na criação do software, além dos profissionais por trás do seu desenvolvimento, seja para uso individual, seja integrado a uma plataforma multicanal.

A inovação, aliada às diversas inteligências tecnológicas, tratou de não só modernizar a ferramenta, como torná-la um canal diferenciado e mais uma alternativa de contato para todos os tipos de público, especialmente para quem não deseja se prender ao horário comercial de atendimento.

Como você viu, os mitos do chatbot parecem estar ligados aos primórdios da sua criação. De lá para cá, foram feitas muitas melhorias, incorporando estratégicas e funcionalidades, para tornar o atendimento mais eficiente e, assim, oferecer uma experiência incrível para consumidores e clientes.

Gostou do post? Que tal aproveitar a visita e aprimorar seus conhecimentos? Conheça os erros que você não deve cometer na sua estratégia de uso de chatbot!

Já segue nossas redes sociais? Clique FacebookInstagramLinkedInYouTube e WhatsApp 

Você também pode gostar

Deixe um comentário